terça-feira, 11 de março de 2008

Da série "Tâmara do sim aceito"

Round 1
P/ Tâmara e a boniteza que a acompanha

a tua beleza é
assim, direta
como um direto
no queixo





Mensagem
P/ Tâmara, quer esteja na malemolência do sim

O agouro, Tâmara, é maior que o tremor das frestas
Não esqueça que de forma alguma
existem o degredo, o dessabor e a desventura
existem as más pessoas a lhe desejarem más sortes
existem os erros que são perdoados, não esquecidos
existem as faltas graves e a boa fé
existe, Tâmara, o que se chama de desencanto

não espere a bonança dos mares de outras terras
nem conquiste passivamente as ondas de outros tempos
saiba que o porvir lhe reserva umas quantas vidas
mas que não dependem do seu estado agudo de felicidade

abre os braços, Tâmara, quando me vir
e assim eu saberei, diante da visão dos teus ombros finos
que na escala do amor maior,
ou no embotamendo digno das papoulas
você um dia me enviou sinais escritos em papéis mofados
como cartas rasgadas de um outro simulacro de existência

come chocolates, Tâmara!
teus olhos guardam os segredos da metafísica
e sabe que a metafísica não se encerra num poema
muito menos, num poema escrito sob o olhar
da letargia e constância siderais





Tâmara IV
P/ ela, dos olhos cor que muda

de tanto velejar
nesse mar tão calmo
teu barco esqueceu
da ventura

teu cais não viu
mais as
cores
do degredo

tuas velas não
se enfunaram
sob o sussurro
dessa quimera

nem se ouviu
o grito
enfurecido dos cordames

mas apesar da
bonança
teu casco há
de singrar sobre meu mar

levanta essa âncora

tâmara IV

navega em outros mares

Um comentário:

Léia disse...

Elogios à minha escrita! Que é isso! Meus solitários versos nada representam que rasuras diante dos seus. Os meus são esboços de gente vivida que permeia a minha solidão inquieta. Os seus, sentimento aflorado na mais bela forma de expressão. Dignos de serem aplaudidos. E como detalhe: por uma platéia admirada que o louva em pé!
Adorei!!!!!!!!!!